Open festival, Beijing, China - costume design by vitor bastos, photo by Miguel Bonneville Open festival, Beijing, China - costume design by vitor bastos, photo by Miguel Bonneville Open festival, Beijing, China - photo by Andy Ting Open festival, Beijing, China - photo by Andy Ting Open festival, Beijing, China - photo by Andy Ting Open festival, Beijing, China - photo by Andy Ting Open festival, Beijing, China - photo by Jane Jin Kaisen Open festival, Beijing, China - photo by Jane Jin Kaisen Open festival, Beijing, China - photo by Wen Yau Open festival, Beijing, China - photo by Wen Yau detail detail Feministizarte, Braga - photo by Luís Eustáquio Feministizarte, Braga - photo by Luís Eustáquio Feministizarte, Braga - photo by Luís Eustáquio Feministizarte, Braga - photo by Luís Eustáquio detail detail The Mews, London, photo by Mikael Larson The Mews, London, photo by Mikael Larson C213, Senhorio, Porto 2010, photo by Catarina Carneiro de Sousa C213, Senhorio, Porto 2010, photo by Catarina Carneiro de Sousa AMIW, Casa da Esquina, Coimbra 2010, photo by Adriana Oliveira AMIW, Casa da Esquina, Coimbra 2010, photo by Adriana Oliveira AMIW, Casa da Esquina, Coimbra 2010, photo by Adriana Oliveira AMIW, Casa da Esquina, Coimbra 2010, photo by Adriana Oliveira Ipsilon, Publico Newspaper Ipsilon, Publico Newspaper George Wood Theatre, Goldsmiths University of London, photo by George Tomlinson George Wood Theatre, Goldsmiths University of London, photo by George Tomlinson George Wood Theatre, Goldsmiths University of London, photo by George Tomlinson George Wood Theatre, Goldsmiths University of London, photo by George Tomlinson

Que Quem Está Ferido Não se Recolha, Antes Despeje o Seu Sangue no Mundo

A performance nasce da leitura das ‘Cartas Portuguesas’ da Soror Mariana Alcoforado e das ‘Novas Cartas Portuguesas‘ de Maria Teresa Horta, Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa. As da primeira autora escritas entre Dezembro de 1667 a Junho de 1668, as das três segundas, datam de 1971.

Tomando como ponto de partida duas cartas das três Marias – Segunda Carta II e Freira Ensanguentada – ponho em prática os diversos exercícios propostos: da vingança à paixão pela paixão, sem pretexto senão o seu próprio exercício. A minha paixão é o mundo o meu exercício a arte e o objecto qualquer.

“-Madre abadessa, aqui me mandam de casa dos meus pais.

- Não houve pão para nós à mesa dos homens.

Nosso corpo inútil no Senhor foi votado

Na casa do Senhor comeremos

Na casa do Senhor dormiremos.

- Madre Abadessa e o que seremos sem corpo nem cavaleiro?

Nossa paixão o Senhor, nosso exercício o paraíso, nosso objecto é o mundo

Seremos freiras em convento.” (NCP:75)

A performance revisita a paixão da mulher na nossa sociedade contemporânea, da paixão pela paixão à paixão pelo mundo. O exercício vai do privado ao público. Os objectos são variados.

Porque o objecto da paixão é mesmo pretexto, pretexto para nele e através dele, definirmos, e em que sentido, o nosso diálogo com o resto. Vejamos: o que nos resta é o mundo, e o tema é a paixão.

Usando partes das referidas cartas e textos criados para o efeito a performance fará uso da palavra oral e escrita, da acção sobre o corpo e ainda de imagens desenhadas no espaço performativo. Este espaço será intimista, com o público sentado em redor da performer formando um rectângulo que delimitará às suas acções e ao mesmo tempo a confinará.

Está decretada a gravidade desta empresa. O que farei convosco será grave, ainda que para tanto haja que rir-me. Ou, como hoje, nem tanto.

(1974; Maria Isabel Barreno, Maria teresa Horta, Maria Velho da Costa; Novas Cartas Portuguesas; Futura)

(1994; The Three Marias, Maria Maria Isabel Barreno, Maria teresa Horta, Maria Velho da Costa, New Portuguese Letters, a tour de force of european women’s literature; Readers International)

A acção tem como objectivo transpor para a linguagem performática as problematizações em torno do papel da mulher na sociedade portuguesa contemporânea iniciadas pelo projecto de Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa – Novas Cartas Portuguesas, escritas durante 1971, em plena ditadura. O projecto fará uso de partes de duas cartas desse mesmo livro, actualizando as imagens sugeridas.

Open festival de Artes Performativas – Pequim

Feministizarte – Umar, Braga

AMIW na Casa da Esquina, Coimbra

The Mews – Drawing Salon, Londres

Caldeira 213

ver o website do V!tor, que desenhou o figurino